sexta-feira, março 18, 2011

Grupo VII: o duelo de titãs que Robert Smith venceu

Épico é o mínimo que se pode dizer deste Grupo VII da eleição Melhor Voz Masculina dos Anos 80. Robert Smith, Freddie Mercury e Bono Vox protagonizaram um duelo de titãs que transformou este grupo no mais emocionante de todos os que já foram a votação. O líder dos Cure acabou por ganhar, como se costuma dizer no atletismo, ao photo-finish, com um pontinho apenas  de vantagem sobre Freddie Mercury. Na terceira posição, por sua vez a um pontinho do líder dos Queen, ficou Bono Vox. Valeu a pena! Os dois restantes classificados, talvez sem surpresa, foram Neil Tennant e Jim Kerr. Este foi também o primeiro grupo de vozes em que uma delas não obteve qualquer voto, no caso, Philip Bailey, o tal do dueto Easy Lover com Phil Collins, e, claro, os Earth Wind & Fire. Obrigado pela participação, mais uma vez!

Total de votos: 130
robert smith (cure) - 35 (26%)
freddie mercury (queen) - 34 (26%)
bono vox (u2) - 33 (25%)
neil tennant (pet shop boys) - 8 (6%)
jim kerr (simple minds) - 6 (4%)
iggy pop - 5 (3%)
robert palmer - 4 (3%)
jim reid (jesus & mary chain) - 3 (2%)
mickey thomas (starship) - 2 (1%)
phil bailey - 0 (0%)

5 comentários:

memyselfandi disse...

Gostei de "duelo de titãs" =).Esta votação foi, de facto, empolgante. Conheço alguém que contava os minutos para saber quem seria realmente o vencedor.

tarzanboy disse...

E o que vem por aí, memyselfandi? Estás preparada para o stress, a angústia, e incerteza? :) Vai ser do melhor! :)

alma-em-4-corpos disse...

e pronto(s) vou ter que rodar a baiana, mas agora não me apetece. vou ficar o torcer pelo peter murphy para a vitória final (e daí não sei, acho que dou azar... vou fazer-me de morta e pode ser que ele ganhe!)

:D

memyselfandi disse...

alma-em-4-corpos, faz-te de tudo, de morta não! :)Com sorte, ele até ganha e quê... ;) Há que acreditar!

paulo disse...

fiquei a saber tarde deste duelo caso contrario o Robert Smith teria ganho por dois votos, é para mim uma das melhores vozes de sempre.